sexta-feira, 30 de março de 2012

Precisamos pagar pela imortalidade e morrer várias vezes enquanto estamos vivo

Nietzsche sugere que não há apenas uma morte ao longo da existência humana. No decorrer da vida, vamos vencendo etapas e devemos morrer – simbolicamente – para podermos nascer no estágio seguinte.

Essa transição de uma vida a outra é o que as tribos mais ligadas à terra chamam de “rito de passagem”, um momento que nossa civilização vem abandonando.

O antropólogo catalão J. M. Fericgla comenta o assunto:
'Sem entrar no mérito da religião, a primeira comunhão era tradicionalmente um rito de iniciação: uma porta simbólica que  conduzia da infância à puberdade. 
Os meninos ganhavam suas primeiras calças compridas após a cerimônia, transformando-se em homenzinhos. Isso coincidia com a permissão para sair à rua sozinhos, mesmo que apenas para comprar pão. O padrinho costumava abrir uma conta-corrente no nome do afilhado.
Também no momento da primeira comunhão os meninos ganhavam seu primeiro relógio, o que 

significava um controle adulto do tempo.'

Um bom exercício para tomar consciência das vidas que existem dentro de nossa vida é fazer uma relação das etapas que já superamos e verificar se houve algum rito de passagem entre uma e outra.

Depois podemos perguntar a nós mesmos: “Qual é a próxima vida em que quero nascer?”

(Nietzsche Para Estressados - Allan Percy - Ed. Sextante)

quinta-feira, 22 de março de 2012

Dia da Água

Hoje, 22 de março, é o dia Internacional da Água, criado em 1992 na Rio-Eco-92, uma conferência mundial das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente.

Selecionei algumas fotos pra comemorar com imagens este dia de conscientização.



quarta-feira, 14 de março de 2012

Dia Nacional da Poesia

 

Hoje, 14 de março, é o Dia Nacional da Poesia.

Escolhemos alguns exemplos de três grandes poetas brasileiro.

Claro, que nessa lista estariam, também, Vinícius de Morais, Adélia Prado, Tom Jobim, Olavo Bilac, Milton Nascimento, Chico Buarque, entre tantos outros.
__________________________________________________________

Canção do dia de sempre

Tão bom viver dia a dia…
A vida assim, jamais cansa…
Mário Quintana
Viver tão só de momentos
Como estas nuvens no céu…
E só ganhar, toda a vida,
Inexperiência… esperança…
E a rosa louca dos ventos
Presa à copa do chapéu.
Nunca dês um nome a um rio:
Sempre é outro rio a passar.
Nada jamais continua,
Tudo vai recomeçar!
E sem nenhuma lembrança
Das outras vezes perdidas,
Atiro a rosa do sonho
Nas tuas mãos distraídas…

_________________________________________________________
 

            
Carlos Drummond
A verdade dividida

A porta da verdade estava aberta
mas só deixava passar
meia pessoa de cada vez.

Assim não era possível atingir toda a verdade,
porque a meia pessoa que entrava
só conseguia o perfil de meia verdade.
E sua segunda metade
voltava igualmente com meio perfil.
E os meios perfis não coincidiam.

Arrebentaram a porta. Derrubaram a porta.
Chegaram ao lugar luminoso
onde a verdade esplendia os seus fogos.
Era dividida em duas metades
diferentes uma da outra.

Chegou-se a discutir qual a metade mais bela.
Nenhuma das duas era perfeitamente bela.
E era preciso optar. Cada um optou
conforme seu capricho, sua ilusão, sua miopia.


      Carlos Drummond de Andrade em documentário
        de Fernando Sabino e David Neves. 1972.

__________________________________________


Considerações de Aninha

Melhor do que a criatura,
fez o criador a criação.
A criatura é limitada.
O tempo, o espaço,
normas e costumes.
Erros e acertos.
A criação é ilimitada.
Excede o tempo e o meio.
Projeta-se no Cosmos




         Poema do Milho

 __________________________________________





sexta-feira, 2 de março de 2012

Muito Tempo (muito tempo)...

figura do site : http://susanaamador.blogspot.com
"Para sempre é muito tempo... mas não tanto como era ontem".


D. H. Lawrence - (11/09/1885 - 02/03/1930)controverso e prolífico escritor inglês, conhecido pelos seus romances (wikipédia - http://pt.wikipedia.org/wiki/D._H._Lawrence)