quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Como quem abre os olhos e vê

"Há metafísica bastante em não pensar em nada.
...
E por isso eu obedeço-lhe,
(Que mais eu sei de Deus que Deus de si próprio?).
Obedeço-lhe a viver, espontaneamente,
Como quem abre os olhos e vê,
E chamo-lhe luar e sol e flores e árvores e montes,
E amo-o sem pensar nele,
E penso-o vendo e ouvindo,
E ando com ele a toda hora."  


(O Guardador de Rebanhos - Alberto Caeiro) 
do livro Fernando Pessoa - O Poeta Fingidor

Nenhum comentário:

Postar um comentário