quarta-feira, 23 de novembro de 2011

O Espasmo do Nascimento - I

"Estamos em um momento bem anterior.  Estamos nascendo.
Passamos vários meses no útero de nossa mãe.  Agora, aproxima-se o parto, o momento em que ela nos “dará à luz”.
http://www.sergioluz.com/
Na hipótese  de que a gestação tenha sido normal e nossa mãe, bem como nosso meio familiar e social, tenha conseguido  nos preservar  de choques e ataques de doenças e de outros desconfortos , a vida no útero é bastante protegida. 
Um líquido na temperatura certa nos envolve, a nutrição e a respiração estão garantidas, a posição no espaço é, por assim dizer, “absoluta” (na medida em que não temos de lutar constantemente para nos mantermos “aprumados”), a quantidade de luz é adequada para nossos frágeis olhos, e a de som para os nossos ouvidos. 
Há espaço e condições para que nosso processo de formação chegue a bom termo e para que nossos processos fisiológicos se desenvolvam e amadureçam. 
Temos, é verdade, uma vida interna intensa, sonhos e agitações, etc., mas pelo menos por “fora” estamos, em princípio, minimamente garantidos.  "
(Ricardo Timm de Souza  - Sobre a Construção do Sentido)


Nenhum comentário:

Postar um comentário