terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Adélia Prado (ou Por falar em Poetas - 3)

 Aniversário de Adélia Prado, poeta mineira nascida em 1935, autora do excelente texto sobre o casamento, postado aqui no Chá Filosófico.

Releituras.com
"Quando nasci um anjo esbelto,
desses que tocam trombeta, anunciou:
vai carregar bandeira.
Cargo muito pesado pra mulher,
esta espécie ainda envergonhada.
Aceito os subterfúgios que me cabem,
sem precisar mentir.
Não sou feia que não possa casar,
acho o Rio de Janeiro uma beleza e
ora sim, ora não, creio em parto sem dor.
Mas o que sinto escrevo.  Cumpro a sina.
Inauguro linhagens, fundo reinos
— dor não é amargura.
Minha tristeza não tem pedigree,
já a minha vontade de alegria,
sua raiz vai ao meu mil avô.
Vai ser coxo na vida é maldição pra homem.
Mulher é desdobrável. Eu sou. "
                    (Com licença poética)
 
 A visão da poeta por outro poeta:

"Adélia é lírica, bíblica, existencial, 
faz poesia como faz bom tempo: 
esta é a lei, não dos homens, 
mas de Deus. 
Adélia é fogo, 
fogo de Deus em Divinópolis". 

(Carlos Drummond)

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Espasmo do nascimento - IV (Final)

Alguns estarão a perguntar por que estes textos sobre o espasmo do nascimento.   Antes que surjam mais dúvidas, vou esclarescendo que é por conta do final do ano, quando sugem os questionamentos sobre a vida e os modos de viver, e a proximidade de meu aniversário (o que por si só já seria motivo para estes sentimentos aqui descritos).


Aqui vai a parte final deste texto que selecionei pra estas horas.

http://sofotos.org/fotos-de-bebes
"Assim, não nos resta senão assumirmos nossa visceral unicidade. Não já de uma maneira refletida, ponderada, mas de um modo que permita a nossa sobrevivência.  Viver, já desde suas primeiras instâncias, é um sobre-viver: viver por “sobre” a infinidade de circunstâncias que nos desafia continuamente, embater-se nas ondas da existência, viver apesar das infinitas armadilhas da vida... Cada minuto, cada segundo é, na verdade, a proclamação de uma sobrevivência; significa que, apesar do peso que a vida representa, dos perigos inerentes a ela, nós fomos capazes de achar saídas, saídas das infinitas situações que se sucedem e que poderiam significar, simplesmente, o nosso fim.
Podemos assim compreender que o nascimento, e o que se lhe segue em termos de adaptação ao mundo, é uma das maiores, se não a maior – e mais decisivas – crises pelas quais passa o ser humano."
(Ricardo Timm de Souza  - Sobre a Construção do Sentido)

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Espasmo do nascimento - III


" Uma vez nascidos, nada fará com que voltemos ao estado anterior; nada será capaz de reproduzir nossa inocência original, nada fará com que tenhamos sido “não nascidos”. Agora estamos apaziguados, protegidos, em nosso berço confortável mas, de certo modo, “sabemos” – sabemos que poderia ser diferente, e que o mundo é maior que nosso berço e as cobertas que nos protegem.  Ao menos a partir deste “saber”, estamos definitivamente inscritos na existência. E estamos condenados a persistir nela.  Mesmo que venhamos a morrer no próximo segundo, nada, nenhum poder, fará com que nunca tenhamos existido.
http://sofotos.org/fotos-de-bebes
A inércia, elemento que, de certo modo, jogava a nosso favor quando estávamos no útero, agora é nossa inimiga mortal. Tudo é luta. Se antes havia a onipresença dos nutrientes, do calor, da suavidade, agora tudo parte da separação.  É porque estamos, por exemplo, separados do alimento que sentimos fome; é porque estamos separados da proteção que sentimos frio; é porque estamos separados do ar que temos de respirar.  E viver consiste primariamente em ir tomando consciência dessa separação.   É nela que consiste, em sua forma primigênia, nosso verdadeiro existir.
Assim, somos separados, e somos separados porque não nos confundimos com o que não somos nós.  Se isso ainda de certo modo era possível no útero, fora do útero indica uma patologia.  E não somos quase nada, a não ser nós mesmos... chegamos talvez a sonhar em sermos um com nossa mãe, mas nem esse desejo é, em fim de contas, possível.''

(Ricardo Timm de Souza  - Sobre a Construção do Sentido)

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Espasmo do nascimento - II

"Então, subitamente, somos expulsos ou retirados, contra qualquer coisa que pudéssemos imaginar fosse a nossa vontade, do receptáculo em que estávamos tão bem acomodados.
http://www.natgeo.com.br/br/especiais/vida-no-ventre/fotos
De um mundo homogêneo, protegido, somos conduzidos a uma situação de pura estranheza. Nada mais de suavidades: o contato de nossa pele frágil, mesmo com o mais delicado dos tecidos com o qual possa nos envolver, será sempre um atrito. De uma só vez, nossa precária organização física terá de se ver com uma quantidade inusitada de novos estímulos e provocações. Teremos de inspirar ar, que entrará frio em nossos pulmões, em um atrito agressivo.  Acomodados em nosso berço, estamos, em um primeiro momento ao menos, em uma situação de enorme desconforto.  Tudo é estranho – luzes, cores, sons, sensações, posições, pesos, estímulos, nossos próprios órgãos chamados à vida autônoma – tudo chora, tudo é Outro. O mundo está para além de nós, vem a nós de forma desconfortável, mas, incisiva, inelutável, inegável.   E uma primeira lição decisiva e profundamente filosófica emerge já dessa multidão de experiências: nascer é atritar a realidade, e viver é atritar o real."

(Ricardo Timm de Souza  - Sobre a Construção do Sentido)


quarta-feira, 23 de novembro de 2011

O Espasmo do Nascimento - I

"Estamos em um momento bem anterior.  Estamos nascendo.
Passamos vários meses no útero de nossa mãe.  Agora, aproxima-se o parto, o momento em que ela nos “dará à luz”.
http://www.sergioluz.com/
Na hipótese  de que a gestação tenha sido normal e nossa mãe, bem como nosso meio familiar e social, tenha conseguido  nos preservar  de choques e ataques de doenças e de outros desconfortos , a vida no útero é bastante protegida. 
Um líquido na temperatura certa nos envolve, a nutrição e a respiração estão garantidas, a posição no espaço é, por assim dizer, “absoluta” (na medida em que não temos de lutar constantemente para nos mantermos “aprumados”), a quantidade de luz é adequada para nossos frágeis olhos, e a de som para os nossos ouvidos. 
Há espaço e condições para que nosso processo de formação chegue a bom termo e para que nossos processos fisiológicos se desenvolvam e amadureçam. 
Temos, é verdade, uma vida interna intensa, sonhos e agitações, etc., mas pelo menos por “fora” estamos, em princípio, minimamente garantidos.  "
(Ricardo Timm de Souza  - Sobre a Construção do Sentido)


quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Um grande acontecimento que nos transcende

"... A vida é construída por experiências de medo e alegria, de atos de exaltação e desilusão, de excitação e de embriaguez de sentimentos. Vida é também desespero, expectativa, tristeza, cólera, sentimento de abandono e tédio, ódio e ferocidade. Tudo isso faz parte da nossa humanidade. Há situações em que tudo se define sem a presença do desconforto e somos inundados por uma esperança extraordinária. Sentimo-nos cúmplices de um grande acontecimento que nos transcende."
( Dayse de Vasconcelos Mayer - professora universitária e advogada - JC - 30/10/11)

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

"É na escuta que o amor começa."

"O que as pessoas mais desejam é alguém que as escute de maneira calma e tranqüila. Em silêncio. Sem dar conselhos. Sem que digam: "Se eu fosse você". A gente ama não é a pessoa que fala bonito. É a pessoa que escuta bonito. A fala só é bonita quando ela nasce de uma longa e silenciosa escuta. É na escuta que o amor começa. E é na não-escuta que ele termina. Não aprendi isso nos livros. Aprendi prestando atenção."
(O Amor que acende a Lua - Rubem Alves)

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Por falar em Poetas 2 - Criação do Dia D - Dia de Drummond

Carlos Drummond de Andrade, o grande poeta mineiro, que hoje faria 109 anos, está sendo homenageado pelo Instituto moreira Salles, com uma programação em várias cidades brasileiras e até mesmo em Lisboa, Portugal.
A homenagem é a criação do Dia D - Dia de Drummond.

Vale a pena conferir! Clique Aqui!

Aqui, postamos um poema para apreciação.

AS SEM-RAZÕES DO AMOR
Eu te amo porque te amo,
Não precisas ser amante,
e nem sempre sabes sê-lo.
Eu te amo porque te amo.
Amor é estado de graça
e com amor não se paga.

Amor é dado de graça,
é semeado no vento,
na cachoeira, no eclipse.
Amor foge a dicionários
e a regulamentos vários.

Eu te amo porque não amo
bastante ou demais a mim.
Porque amor não se troca,
não se conjuga nem se ama.
Porque amor é amor a nada,
feliz e forte em si mesmo.

Amor é primo da morte,
e da morte vencedor,
por mais que o matem (e matam)
a cada instante de amor.

domingo, 30 de outubro de 2011

Mais poetas...

Poeta e ativista Michael D. Higgins é eleito presidente da Irlanda




Leia mais aqui :  Link 1  ou Link 2   ou Link 3

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Dia do Poeta

Dia do Poeta - 20 de outubro


Retrato de Fernando Pessoa em 1914
"O poeta é um fingidor.
Finge tão completamente
Que chega a fingir que é dor
A dor que deveras sente.

E os que lêem o que escreve,
Na dor lida sentem bem,
Não as duas que ele teve,
Mas só a que eles não têm.

E assim nas calhas de roda
Gira, a entreter a razão,
Esse comboio de corda
Que se chama o coração."

 


"Temos, todos que vivemos,
Uma vida que é vivida
E outra vida que é pensada,
E a única vida que temos
É essa que é dividida
Entre a verdadeira e a errada."


"Grande é a poesia, a bondade e as danças...
Mas o melhor do mundo são as crianças,
Flores, música, o luar, e o sol, que peca
Só quando, em vez de criar, seca."

                             (FERNANDO PESSOA)

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Dia da Fotografia - 19 de agosto

Homenagem ao dia da fotografia.

Fotografia significa "desenhar com luz e contraste".

A Fuji Films tem uma página excelente, com história da fotografia, como pode ser visto neste link: clique aqui.

Outro site interessante sobre a fotografia é o do Wikipédia, com este link: fotografia, de onde copiamos a foto abaixo.


Imagem da primeira fotografia permanente do mundo feita por Nicéphore Niépce, em 1825.




O site JDOUBLEJ contém muitas curiosidades sobre a arte de fotografar.  Uma olhada neste site é imperdível.




Esta - A Garota Afegã - é uma das fotos mais famosas que conheço. Foi capa da National Geographic, em junho/1985.











segunda-feira, 25 de julho de 2011

Dia de Santiago - 25 de julho

Obra de  Rembrandt van Rijn
São Tiago Maior ou Santiago Maior 

Também chamado Santiago, o Grande, até mesmo Santiago Filho do Trovão.

Um dos doze apóstolos de Cristo, foi um dos mártires da Igreja Cristã, é conhecido como Santiago de Compostela.

quinta-feira, 21 de julho de 2011

A felicidade é amor, só isto.

Quanto mais envelhecia, quanto mais insípidas me pareciam as pequenas satisfações que a vida me dava, tanto mais claramente compreendia onde eu deveria procurar a fonte das alegrias da vida. Aprendi que ser amado não é nada, enquanto amar é tudo (...).
O dinheiro não era nada, o poder não era nada. Vi tanta gente que tinha dinheiro e poder, e mesmo assim era infeliz.
A beleza não era nada. Vi homens e mulheres belos, infelizes, apesar de sua beleza.
Também a saúde não contava tanto assim. Cada um tem a saúde que sente.
Havia doentes cheios de vontade de viver e havia sadios que definhavam angustiados pelo medo de sofrer.
A felicidade é amor, só isto.
Feliz é quem sabe amar. Feliz é quem pode amar muito.
Mas amar e desejar não é a mesma coisa.
O amor é o desejo que atingiu a sabedoria.
O amor não quer possuir.
O amor quer somente amar.
  (Do Livro Sull´Amore - Hermann Hesse)

quinta-feira, 7 de julho de 2011

Sorrir e Cantar

"Cantar é sempre o que a fazer eu ando
 Sorrir é sempre o meu prazer infíndo
realidadeaceitavel.blogspot.com
 Se canto e rio, é porque vivo amando
 se amo e canto e porque vivo rindo
 Se o pranto morre quando nasce o canto
 Eu canto e rio pra matar o pranto
 E gosto muito de quem canta e rí
 Logo bem vês por esses dotes meus
 Que quando canto estou pensando em Deus
 E quando rio estou pensando em ti."
           (Rogaciano Leite, citado em Dêitico)

quinta-feira, 23 de junho de 2011

Juventude

infojovem.org.br
Um grande amigo me postou, no facebook, que fora à cerimônia de formatura em medicina da filha de uma amiga em comum, e que  "essa meninada não pára de envelhecer!!! rsrsrsrsrs".


Eu tenho o costume de, ao parabenizar um(a) jovem em seu aniversário, brincar um pouco e dizer que ele(ela) não para de envelhecer.  Às vezes é um choque, que logo eu explico que todos nós estamos envelhecendo, uns com velocidade maior que outros, e que depende de como cada um encara a passagem do tempo em sua vida.


Estas situações me trazem sempre à lembrança uma pequena crônica que fizemos sobre o tempo e sua expectativa, aqui no Rua da Aurora


Acho que vale a pena reler. Se quizer clique aqui.  Valeu!!!

domingo, 19 de junho de 2011

O tempo

 "Era o relógio de meu avô, e quando o ganhei de meu pai ele disse: 'Estou lhe dando o mausoléu de toda a esperança e de todo o desejo. É extremamente provável que você o use para lograr o reductio ad absurdum de toda a experiência humana, que será tão pouco adaptado às suas necessidades individuais quanto foi às dele e às do pai dele. Dou-lhe este relógio não para que você se lembre do tempo, mas para que possa esquecê-lo por um momento de vez em quando e não gaste todo o seu fôlego tentando conquistá-lo'. "


 (William Faulkner - escritor americano)

(Figura do site Textual Attraction)

Sim, todo amor é sagrado



" Sim, todo amor é sagrado
  E o fruto do trabalho
  É mais que sagrado, meu amor.
  A massa que faz o pão
  Vale a luz do teu suor
  Lembra que o sono é sagrado
  E alimenta de horizontes
  O tempo acordado, de viver."
    (Link   AMOR DE ÍNDIO - autoria de Beto Guedes - com performance de Milton Nascimento)

domingo, 12 de junho de 2011

Eduardo e Mônica

" E quem um dia irá dizer
Que existe razão
Nas coisas feitas pelo coração? "

Excelente, este filme da Vivo publicado no Youtube, para o hit Eduardo e Mônica do Legião Urbana....

Um hit dos anos 80 com argumentos e objetos atuais.  Muito legal!

 Vale a pena assistir...

sábado, 16 de abril de 2011

A mulher que lê ...

Um casal sai em férias para um hotel-fazenda.
O homem gosta de pescar e a mulher gosta de ler.
Uma manhã, o marido volta da pesca e resolve tirar uma soneca.
Daí, apesar de não conhecer bem o lago, a mulher decide pegar o barco do marido e ler no lago.
Ela navega um pouco, ancora, e continua lendo seu livro.
Chega um guarda do parque em seu barco, pára ao lado da mulher e fala:

- Bom dia, madame. O que está fazendo?

- Lendo um livro - responde e pensa: "será que não é óbvio?"

- A senhora está em uma área restrita em que a pesca é proibida - informa.

- Sinto muito, tenente, mas não estou pescando, estou lendo...

- Sim, mas, com todo o equipamento de pesca. Pelo que sei, a senhora pode começar a qualquer momento.    Se não sair daí imediatamente, terei de multá-la e processá-la.

- Se o senhor fizer isso, terei que acusá-lo de assédio sexual.

- Mas, eu nem sequer a toquei! - diz o guarda..

- É verdade, mas o senhor tem todo o equipamento. Pelo que sei, pode começar a qualquer momento.

- Tenha um bom dia madame. - diz ele. E vai embora.

MORAL DA HISTÓRIA:

NUNCA DISCUTA COM UMA MULHER QUE LÊ.   CERTAMENTE, ELA PENSA... 

quinta-feira, 17 de março de 2011

Vida Real

Quem sabe assim
Você vai aprender
Que amar não é brincar de amor
E sofrer, faz parte do querer...
(Djavan - Vida Real)

quinta-feira, 10 de março de 2011

Prazer e Dor

"Prazer e Dor são representados com os traços gêmeos, formando como que uma unidade, pois um não vem nunca sem o outro; e se colocam um de costas para o outro porque se opõem um ao outro".
(Leonardo Da Vinci)

sexta-feira, 4 de março de 2011

Casamento

Há mulheres que dizem:
Meu marido, se quiser pescar, pesque,
mas que limpe os peixes.
Eu não. A qualquer hora da noite me levanto,
ajudo a escamar, abrir, retalhar e salgar.
É tão bom, só a gente sozinho na cozinha,
de vez em quando os cotovelos se esbarram,
ele fala coisas como "este foi difícil"
"prateou no ar dando rabanadas"
e faz o gesto com a mão.
O silêncio de quando nos vimos a primeira vez
atravessa a cozinha
como um rio profundo.
Por fim, os peixes na travessa,
vamos dormir.
Coisas prateadas espocam:
somos noivo e noiva.
___________________

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Os 3 últimos desejos de Alexandre. o Grande

Conta-se que quando estava à beira da morte, Alexandre, o Grande convocou os seus generais e relatou seus 3 últimos desejos:

1-) Que seu caixão fosse transportado pelas mãos dos médicos da época;

2-) Que fosse espalhado no caminho até seu túmulo os seus tesouros conquistados (prata, ouro, pedras preciosas);

3-) Que suas duas mãos fossem deixadas balançando no ar, fora do caixão: à vista de todos.

Um dos seus generais, admirado com esses desejos incomuns, perguntou a Alexandre quais as razões para tal desejo.

Alexandre explicou:

1-) Quero que os mais iminentes médicos carreguem meu caixão para mostrar que eles NÃO têm poder de cura perante a morte;

2-) Quero que o chão seja coberto pelos meus tesouros para que as pessoas possam ver que os bens materiais aqui conquistados, aqui permanecem;

3-) Quero que minhas mãos balancem ao vento para que as pessoas possam ver que de mãos vazias viemos e de mãos vazias partimos.

domingo, 13 de fevereiro de 2011

Um sonho para criar o futuro

O grande Victor Hugo, célebre poeta e escritor francês do século XVII, dizia que não há "nada melhor que um sonho para criar o futuro".

Talvez, o idealizador desta belezinha aí em baixo estava baseado nesta máxima de Victor Hugo,



Leia mais sobre isso, aqui!

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Sinônimo de Paz

102 anos do nascimento deste cearense de nascimento, mas, cidadão do mundo.

Dom Hélder Câmara, "sinônimo de Paz".


Veja mais.... aqui.