domingo, 5 de dezembro de 2010

Vinho e Paixão

Como cantou Chet Baker, "I fali in love too easily, I fali in love too fast”...

Meu primeiro romance foi com Mademoiselle Beaujolais. Sem cobranças nem perguntas, apenas diversão, bebi boas risadas em sua leve futilidade. Mas aquilo não era para durar mesmo. Sinatra entoaria: "It was just one of those things. It was too hot Idown."

Foi então que conheci La Romanée. Mal acreditei quando su olhar sedutor se dirigiu a mim. Muita areia pró meu caminhãozinho. Cantando "Lucky to be me", mergulhei em uma experiência única, tão intensa quanto complexa. Porém, nenhum mortal pode querer La Romanée para sempre e logo fui trocado por alguém mais rico. Afoguei a tristeza em água, sem gás. Old Bue Eyes diria: "I´m a fool to want you”.


Devo muito a uma Grande Dame da sociedade, efevercente de alegria, que me adotou como seu enfant gâté e me devolveu o prazer de viver. Foram incontáveis festas, com incontáveis brindes. Um jorro de glamour ao som de “I get a kick our of you”.
Hoje, não importa origem, idade ou cor. Cada gole é um beijo, com gosto ao mesmo tempo de primeiro e de último, pois, de tanto torcer e esticar meu coração, me apaixonei pela paixão.

(Vinho & algo mais – Marcelo Copello)

Nenhum comentário:

Postar um comentário