quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

O prazer de uma pescaria


Caminhando pelo calçadão, logo cedo, vi um pescador arremessando, com a vara de pesca, o anzol para o mar.  

É notória a satisfação que este ato causa aos pescadores.  Basta ver o semblante de felicidade, quando o anzol cai em local próximo ao pretendido. Mas, para chegar aqui são necessárias diversas etapas, onde, para alguns, necessita ser empregada toda uma  técnica.  A escolha da isca: se camarão, isca viva (peixe menor), ou mesmo barata d'água (argh!); como colocar a isca no anzol: se deixa ou não uma parte do anzol aparecer; amarrá-la, ou não, com a linha elástica; qual o chumbo a ser colocado na linha. E assim vai...

Em um filme, acho que com Brad Pitt, um pai e dois filhos disputam o melhor arremesso do anzol.  Desta feita, a isca é um daqueles "flies", isca artificial com um espécie de pena na extremidade.  Pois, bem, um dos grandes momentos do filme é quando um filho (Brad Pitt) consegue fazer um arremesso bem melhor que o pai, que os ensinara a técnica do arremesso.   O pai fica com ciúme, inveja.  Pra compensar a perda do arremesso, o pai pesca o maior peixe... dando a entender que na pescaria, além do arremesso, é necessário saber onde está o melhor (ou maior) peixe.  

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

O sábio Homem Santo


Um homem decidiu visitar um sábio Homem Santo que vivia na montanha.
Chegando lá, encontrou um homem velho e simples que lhe abriu a porta.
- Eu gostaria de ver o sábio Homem Santo - disse ele ao outro.
O velho sorriu e o fez entrar.
Enquanto caminhavam ao longo da casa, o homem esperava ansioso o encontro com o Homem Santo.
Mas, em poucos minutos percoram toda a extensão da casa.  Então, ele voltou-se para o velho:
- Eu quero ver o Homem Santo.
- Já o fizeste, - disse o velho. - Todos os que tu  encontrares em tua vida , mesmo que eles pareçam simples e insignificantes... veja cada um deles como um sábio Homem Santo.