quarta-feira, 8 de outubro de 2008

Futuro

 

image "Admiro muito a fé e a determinação de um lavrador  nordestino que, sem saber se vai chover, planta para poder  colher o sustento de sua família. Contudo, admiro, especialmente, os plantadores de uva de Petrolina (Pernambuco) e de Juazeiro (Bahia), que criaram um sistema de irrigação artificial que traz as águas do rio São Francisco para suas fazendas. 
       Para eles, chover pode até representar um problema porque altera a quantidade de água de que a planta vai precisar. Eles preferem que não chova para assim determinar o volume exato de água que as uvas receberão.

O futuro deles já não é definido pela presença ou ausência da  chuva. Suas preocupações são outras:  o mercado, como manter a qualidade das uvas, se a Europa vai ou não comprar sua produção.
Resultado: colhem as melhores uvas que já saboreei na minha vida. Eles criaram competências e estruturas que fazem com que o futuro não seja apenas conseqüência da garra, e sim resultado de  planejamento cuidadoso.
       Atualmente, o futuro não pode ser enfrentado somente com espírito de luta, com arco e flecha.
Precisamos sempre da garra, mas acompanhada de conhecimentos, de tecnologia e de equipes poderosas.
       Lembre-se: o futuro é resultado, o futuro é a colheita do que você plantou e está plantando. E esse futuro dinâmico não respeita sobrenome. Sucesso no passado não é garantia de vitórias no  futuro. Então, o que vai acontecer daqui a dez anos será  conseqüência de algo que você está fazendo hoje. Se você está criando uma vida solitária, é inevitável que, no fim, esteja sozinho. Se você está criando hoje muito desperdício, é provável que no futuro esteja pobre."
(Roberto Shinyashiki em 'Os donos do futuro')

Nenhum comentário:

Postar um comentário