quinta-feira, 17 de abril de 2008

Preguiça, Ócio ou Descanso?


No Aurélio, a palavra ócio significa: "Descanso do trabalho; folga, repouso; tempo que se passa
desocupado; vagar, quietação, lazer, ociosidade; falta de trabalho; desocupação, inação,
ociosidade; preguiça, indolência, moleza, mandriice, ociosidade; trabalho mental ou ocupação
suave, agradável."

Nós, seres humanos(?), não vivemos apenas para o (do) trabalho. Necessitamos de horas de folga (lazer, indolência, ociosidade, inação), quando nos ausentamos da agitação, das tensões e preocupações do dia a dia.


"A idéia de que os pobres devem ter direito ao lazer sempre chocou os ricos. Na Inglaterra do início do século XIX, a jornada de trabalho de um homem adulto tinha quinze horas de duração.

Algumas crianças cumpriam, às vezes, essa jornada, e para outras a duração era de doze horas.
Quando uns abelhudos intrometidos vieram afirmar que a jornada era longa demais, foi-lhes dito que o trabalho mantinha os adultos longe da bebida e as crianças afastadas do crime. Eu era ainda criança quando, pouco depois de os trabalhadores urbanos terem conquistado o direito de voto, e para a total indignação das classes superiores, os feriados públicos foram legalmente instituídos. Lembro-me de uma velha duquesa exclamando: 'O que querem os pobres com esses feriados? Eles deviam estar trabalhando.' Hoje em dia as pessoas sao menos francas, mas o sentimento persiste, e é fonte de boa parte de nossa confusão econômica." (O Elogio ao Ócio, de Bertrand Russel)

“As pessoas que acabam sem um minuto livre não são necessariamente aquelas que precisam de todos os instantes para trabalhar a fim de se manter” afirma a psicóloga Mara Chiari, mestre em Filosofia.

Afinal, o que posso chamar de ócio? Quando estamos no ócio, estamos realmente sem fazer nada? Ou será que estamos sempre trabalhando, mesmo que seja apenas mental? Conseguimos ficar com a mente realmente parada?

Será que o tempo que passamos sem fazer nada é perda de tempo?

“É necessário aprender que o trabalho não é tudo na vida e que existem outros grandes valores: o estudo para produzir saber; a diversão para produzir alegria; o sexo para produzir prazer; a família para produzir solidariedade,...”, nos diz Domenico de Masi em seus livro Ócio Criativo.

"A vida é aquilo que acontece enquanto planejamos o futuro". (John Lennon)

Nenhum comentário:

Postar um comentário